Circuito Europeu de Homens

O FINLANDÊS KORHONEN OBTÉM NA ÁUSTRIA PRIMEIRO TRIUNFO NO TOUR

Shot Clock Masters

Data: 31 de Maio a 3 de Junho de 2018
Campo: Diamond Country Club
Par:  72
Local :  Alzenbrugg, Áustria

Resultados

 

O torneio foi fundado com o nome Austrian Open em 1990 mantendo-se até 1996 como um evento do European Tour, tendo tido vários nomes provenientes de diversos patrocinadores.

O torneio de 1997 até 2005 fez parte do calendário de torneios do Challenge Tour – 2ª divisão do European Tour.

Esta competição a partir de 2006 regressou ao European Tour, tendo tido de 2012 a 2017 como principal patrocinador a cadeia de lojas Lyoness e a sua afiliada Greenfinity.

Este evento passou a ter nova designação, ‘Shot Clock Masters’, usando relógios que mediam a duração de todos os shots de cada jogador, desde a sua preparação até à sua execução, tendo esta iniciativa como objetivo principal, a redução do tempo das rondas do torneio.

Assim os tempos concedidos para execução dos shots eram medidos por árbitros que acompanhavam cada formação, usando relógios digitais montados em buggies, que permitiam medir os tempos consumidos por cada jogador, em todos os shots, atribuindo-lhes penalizações, quando os limites a seguir definidos era excedidos.

Os tempos concedidos para os shots eram os seguintes:

- 50 segundos para primeira batida de aproximação (mesmo nos buracos par 3), chip ou putt.

- 40 segundos, para um shot de saída num par 4 ou par 5 ou numa segunda ou terceira batida de aproximação, chip ou putt.

Os jogadores que excedessem os tempos concedidos em cada shot, era-lhes atribuído uma pancada de penalidade no buraco em que tal ocorresse.

Cada jogador podia pedir uma ‘extensão de tempo’, duas vezes em cada uma das rondas, sendo-lhes atribuídos dois 40 segundos extras, podendo tal extensão ser pedida antes do relógio começar a marcar ou durante a marcação, desde que, esta não tivesse chegado a zero.

O torneio foi disputado em strokeplay, com um cut após 36 buracos, efetuado de modo a reduzir o field a 65 jogadores e empatados, efetuando-se novo cut após a terceira ronda, de modo a que apenas disputassem a última ronda 60 jogadores.

Continuando a inovar nos formatos dos torneios o European Tour após ter efetuado: o ISPS Handa World Super 6 Perth; o Golf Sixes; e, o Belgian Knockout; surgiu esta semana com um novo formato inovador, no “Shot Clock Masters”, na Áustria, que visava reduzir o tempo do torneio a quatro horas ou menos, tornando estes mais atrativos para os fans que visitam os campos dos torneios, tornando também as transmissões de imagens destes eventos mais curtas, captando assim um maior número de observadores.

O torneio disputou-se no Diamond Country Club, situado perto de Viena, na Áustria, que dispõe de dois percursos, o Diamond Leisure e o Diamond, onde foi disputado o torneio.

O campo Diamond, que pode conhecer aqui, foi inaugurado em 2002 tendo muitos obstáculos de água que interferem com o jogo, o que exige dos jogadores precisão nas saídas e nas batidas para os greens.

Os greens dos buracos 11 e 15, par 3, encontram-se implantados em penínsulas, tendo o buraco 18, par 4, um green com um lago à esquerda, sendo o lado direito do green,um out-of-bounds, o que exige jogadas muito certeiras.

No torneio participaram 120 jogadores, tendo tido como vencedor o finlandês Mikko Korhonen, 37 anos, que obteve a primeira vitória no European Tour, e consumou 16 pancadas abaixo do par do campo.

Korhonen bateu 68, 67, 68 e 69 pancadas, que produziu com: 18 birdies; 52 pars; e, 2 bogeys.

O finlandês com os resultados apurados ocupou no fim da primeira ronda o 5º lugar empatado, tendo a partir desta volta comandado o torneio isolado.

O vice-campeão do torneio foi o escocês Connor Syme, 22 anos, que concretizou nas rondas 68, 72, 69 e 69 pancadas, 10 abaixo do par do campo.

Syme produziu aqueles resultados com: 20 birdies; 42 pars; e, 10 bogeys.

O campeão Karhonen recebeu o prémio no valor de 166.660 euros e o vice-campeão Conner embolsou o montante de 111.110 euros.

Os pontos atribuídos ao finlandês e ao escocês foram os seguintes: 195.830 e 130.550.

Com estes pontos o finlandês Korhonen subiu do 65º ao 35º lugar da Corrida para o Dubai, onde registou 452.310 pontos, que obteve nos treze eventos que já disputou esta época.

O escocês Connor com os pontos que lhe foram atribuídos, subiu da posição 206ª ao 101º lugar, onde contabiliza 164.366 pontos, que obteve nos treze eventos em que já participou este ano.

O 3º lugar do evento foi partilhado pelos seguintes jogadores: o inglês, Steve Webster, 43 anos, o belga, de Bruxelas, Nicolas Colsaerts, 35 anos; o francês de Lyon, Raphäel Jacquelin, 44 anos; e, o sul-africano de Joanesburgo, Justin Walters, que efetuaram 9 pancadas abaixo do par do campo.

O português José-Filipe Lima, 36 anos, obteve no torneio o 43º lugar empatado, ao consumar nas voltas 73, 72, 70 e 72 pancadas – uma pancada abaixo do par do campo – que concretizou com: 15 birdies; 43 pars; e, 4 bogeys.

José-Filipe Lima, que este ano é membro do Challenge Tour, encontra-se após esta competição no ranking Road to Ras Al Khaimah na 22ª posição, onde apresenta 28.774 pontos, que apurou nos seis eventos em que marcou presença esta época.

Outros concorrentes que destacamos da classificação geral do torneio, obtiveram as seguintes classificações e resultados: David Horsey – 7ºE/-8; Matthias  Schwab, Miguel Angel Jimenez, Adam Bland – 12ºE/-7; Lee Slattery – 19ºE/-6; Grant Forrest, Andrea Pavan, Soren Kjeldsen – 23ºE/-5; Wade Ormsby – 30ºE/-4; Bradley Dredge, Oskar Stark – 38ºE/-2; Ashum Wu, Ryan Evans – 47ºE/par.

Os jogadores seguintes e atrás referidos, Grant Forrest e Andrea Pavan, foram penalizados com uma pancada, por excesso de tempo: o primeiro no buraco 15 da terceira ronda, numa pancada de aproximação; o segundo, no buraco 18, na terceira ronda, num putt.

Oskar Stark, também atrás mencionado, foi penalizado com uma pancada num putt, no buraco 4, da última ronda.

O último classificado do torneio, no 59º lugar, Marcus Brier foi penalizado com uma pancada de aproximação ao buraco 7 da última volta.

O francês Clemens Prader foi também sujeito a uma pancada de penalidade no buraco 6, na terceira ronda, por ter excedido 4 segundos num putt que efetuou, tendo sido um dos jogadores eliminados pelo segundo cut.

Quatro segundos foi o maior tempo excedido referente aos dois limites definidos.

Não passaram o cut os seguintes jogadores, dentre outros: Laurie Canter; Pedro Oriol; Gregorey Bourdy; Matthew Baldwin; Chris Hanson; Felipe Aguilar; e, Nino Bertasio.

  Voltar

 


 

Sites


 





 



 

Revised: 11-06-2018 .